quarta, 18 de julho de 2018

“O digital altera a dinâmica da indústria”, diz Fábio Coelho

Empresas tentam entender como usar a tecnologia para aumentar performance

Simplificar a transformação digital de seus negócios. Este é o desafio de grande parte das empresas brasileiras que tentam entender qual a melhor forma de colocar em prática o uso da tecnologia para aumentar a performance. Nesta entrevista, Fábio Coelho, presidente do Google Brasil, fala sobre o aparecimento de um novo modelo de agência de propaganda, os desafios de simplificar a publicidade digital e a necessidade de ajudar as empresas brasileiras na mensuração e no entendimento dos dados.

NOVO MODELO DE AGÊNCIA

O modelo de negócios brasileiro, em especial o da propaganda, é forte, mas vem sofrendo alguns questionamentos. A tendência das empresas de querer internalizar seus dados faz com que as disciplinas que estão dentro de uma agência possam ser tratadas com bastante profundidade, para que se transformem ao longo do tempo. A mídia programática vai levar a esse posicionamento. Tudo isso é um processo, como em qualquer outra atividade. O digital altera a dinâmica em qualquer indústria. A nossa propaganda, que tem excelentes agências, antes era apenas criação e mídia. Nos últimos anos, elas estão passando por um processo de transformação. Isso talvez se acelere nos próximos três anos.

PUBLICIDADE DIGITAL

Atualmente nosso principal desafio com a publicidade digital é simplificá-la. Ela é bastante complexa e, como em qualquer tecnologia emergente, você quer saber o resultado daquilo, mas não precisa necessariamente conhecer todos os detalhes. Por exemplo, você não precisa saber como é feito um relógio para ver as horas. Você precisa entender o produto, o resultado e o impacto final daquilo. Temos o desafio de entender como chegar em métricas que reflitam o ecossistema e consigam conversar também com as métricas da mídia offline. Outro desafio é o entendimento do uso cidadão dessas plataformas. Precisamos entender como nós podemos conviver no espaço público digital de uma maneira mais civilizada. Se não tivermos isso, um pedaço da nossa democracia será impactada com notícias falsas, trolagens, crimes de ódio, que sempre existiram, infelizmente, mas que são aceleradas e potencializadas no digital.

MENOR VALOR NO DIGITAL

O digital traz mais transparência para qualquer indústria. E quando você traz uma maior transparência, invariavelmente, isso tem impacto no preço. A transparência naturalmente gera o que chamamos de mercado perfeito: um mercado em que você tem mais condições de entender quanto se cobra por qualquer item e, com isto, naturalmente os preços caem.

MÍDIA COM MAIS RELEVÂNCIA

A percepção das empresas de mídia sobre o valor das plataformas, tanto do ponto de vista de complementaridade como do entendimento estratégico de que nós somos parceiros, evolui barbaramente. Hoje somos parceiros da Globo, SBT, Record, Folha, UOL… enfim, empresas que antes questionavam qual seria o nosso papel. Quando eles entendem que não temos produção de conteúdo profissional e que o material deles pode ser alavancado, multiplicado e devolvido na forma de tráfego, isso tem valor estratégico impressionante. Se você conseguir usar o digital para trazer mais gente para assistir, logicamente respeitando os direitos de propriedade intelectual e entendendo que é possível monetizar isso, você tem uma solução que funciona para todo mundo. As empresas amadureceram e entenderam que essa revolução não tem marcha à ré e, ao mesmo tempo, que elas podem, sim, tirar proveito disso para ficarem mais fortes.

INCLUSÃO

O principal trabalho que a gente já fez foi o desenvolvimento da plataforma Android, que está presente em mais de 90% dos smartphones brasileiros e, por ser um sistema aberto, permitiu que houvesse uma queda real de 40% a 50% dos custos de acesso. Depois ter tornado as nossas soluções ainda melhores. Em 2017, investimos em melhorar a qualidade daquilo que entregamos. Não tem uma solução única para esse quebra-cabeça, que é montar um Brasil mais inclusivo.

APOSTAS PARA 2018

A primeira aposta é em dados. No sentido mais amplo, significa ajudar as empresas brasileiras a entenderem ainda mais o valor, o potencial e como eles podem ajudar na tomada de decisão. Reforçar o entendimento sobre soluções de negócios excelentes que podem reduzir tempo e custo. Soluções de vídeos que complementam a televisão e hoje fazem com que os dois veículos tenham quase que a mesma importância dentro do mix de comunicação. Elas vão permitir que o mercado desenvolva uma nova linguagem no ambiente digital, não ficando apenas amarrados nos 30 segundos e gerando um monte de dados.

Fonte: Propmark

ABA NAS REDES SOCIAIS

Revistas

Confira as outras edições aqui!

Avenida Paulista, 2073, 14º andar, conjunto 1403 – Edifício Horsa II – Conjunto Nacional
© 2018 ABA - Associação Brasileira de Anunciantes by Pragma